Roteiro de 10 dias na Tasmânia

Eu sei o quanto é difícil organizar uma viagem que exige se deslocar tanto, por isso, neste post, organizei o meu roteiro de 10 dias na Tasmânia para você! Realizamos essa viagem de campervan e além das dicas sobre lugares que você precisa visitar, vou te contar também o que não fazer!

Aqui está meu roteiro da Tasmânia:

  1. DIA 1 – Coles Bay
  2. DIA 2 – Bay of Fires
  3. DIA 3 – Mount william National park
  4. DIA 4 – Launceston
  5. Dia 5 – Cradle Mountain
  6. DIA 6 – Mount Field National Park
  7. Dia 7 – Brunny Island
  8. DIA 8, 9, 10 – Hobart

Se você se encontra na Austrália, esta é uma jornada que merece ser realizada. Embora as praias e estados mais quentes costumem ser os destinos favoritos para férias, eu prometo que uma aventura na Tasmânia não deixará você desapontado.

A viagem de campervan pela Tasmânia oferece a combinação perfeita entre aventura e tranquilidade. Além disso, ilha tem uma serenidade que é verdadeiramente singular na Austrália. Você encontrará paisagens de tirar o fôlego, desde montanhas majestosas até praias intocadas, tudo em um cenário de natureza intocada.

A Tasmânia permite que você se desconecte do ritmo acelerado da vida moderna e mergulhe em uma atmosfera de paz e contemplação. Esta é uma experiência que ficará gravada na memória como uma das viagens mais especiais que você já fez. Portanto, não hesite em embarcar nessa aventura única pela Tasmânia.

Se você quiser mais detalhes sobre como organizar uma road trip para montar seu próprio roteiro para Tasmânia , confira o post “Como organizar uma road trip para Tasmânia“.

DIA 1 – Coles Bay

A gente chegou em Hobart por volta das 9 AM e pegamos um táxi direto para o lugar que a gente iria retirar a campervan. Nós optamos por explorar Hobart na volta, então passamos no mercado para comprar nossas comidinhas e dirigimos 2 horas e 30 minutos até Coles Bay.

Coles Bay é uma região, e não um lugar específico, lá você pode explorar vários pontos, como esses citados abaixo.

  • Cape tour ville, é uma caminhada com vistas incríveis e um farol super charmoso.
  • Honeymoon bay, um dos meus lugares preferidos, a gente viu o pôr sol lá e não consigo explicar em palavras o quanto foi lindo.
  • Wineglass Bay, é um mirante com vista bem famosa, fizemos no dia 2 de manhã porque iria ficar muito corrido fazer no primeiro dia, mas estava com muita neblina e quando chegamos lá em cima, infelizmente não dava pra ver nada.

Dormimos em uma área de descanso gratuita que encontramos no caminho. E tomamos banho em um camping pago. Alguns campings permitem que você entre para tomar banho e é bem barato, se não me engano eram $2 dólares.

Coles bay

DIA 2 – Bay of Fires

Depois do role desastroso em Wineglass Bay, dirigimos 1 hora e 50 minutos até a região de Bay of Fires e esses foram os pontos que visitamos. Vale lembrar que Bay of Fires é uma região, e recebe esse nome por causa das pedras com tons de laranja. Então você pode encontrar essas pedras em vários pontos dessa área.

  • Bicheno Blowhole, uma praia que fica no meio do caminho entre Coles Bay e Binalong Bay, lá tem uma fresta entre rochas que quando a maré está mais alta levanta um jato de água.
  • Binalong Bay, tem uma praia com a areia super branquinha e o mar azul, me lembrou um pouco Jervis Bay.
  • Cosy Corner Noth, outra área de águas cristalinas e azul, pedras alaranjadas.
  • Suicide Beach, embora tenha esse nome meio esquisito, o lugar é lindo e é a praia mais famosa dessa região.
  • The Gardens, fica bem do lado de Suicide beach, uma paisagem lindíssima.

Passamos a noite em um lugar chamado, Swimcart Beach Campground. Nem sei se posso chamar de camping. Era apenas um espaço perto da praia que era permitido parar veículos e dormir. Era gratuito, tinha banheiro, mas não tinha chuveiro. A gente simplesmente não conseguiu encontrar nenhum camping, área de descanso, hostel, hotel, NADA! E foi aí que passamos nossa segunda noite sem tomar banho .

Bay of fires

DIA 3 – Mount william National park

Acordamos e dirigimos 1 hora até a região de Mount William National Park.

  • Eddystone lighthouse, a gente pegou uma estrada de terra bem feia para chegar até esse lugar, eu sinceramente não sei se incluiria ele de novo no roteiro.
  • Picnic rocks, mais pedras lindas e mar azul, vale a parada!
  • Little blue lake, depois dirigimos mais ou menos uns 45 minutos até Little Blue Lake, estava chuviscando e a gente achou que o lago seria um desastre. Mas ficamos simplesmente paralisados com a beleza quando chegamos lá. O lugar é na beira da estrada e você vai basicamente só apreciar e tirar fotos, não tem muito o que fazer lá, mas a parada é obrigatória.

Depois seguimos buscando um lugar para dormir. Paramos em Derby, uma vila extremamente charmosa, que é basicamente uma rua. Aparentemente, é uma área famosa para quem gosta de fazer ciclismo, com algumas lojas de bicicletas e coisas do gênero. Além disso, possui poucos restaurantes, mas encontramos um caravan park com chuveiro quente. Entretanto, o banho tinha que ser pago à parte com moedinhas.

Little blue lake

DIA 4 – Launceston

No quarto dia a gente dirigiu 1 hora e 20 minutos até Launceston.

  • Cataract Gorge Reserve, um lugar lindíssimo! Tem um teleférico que vai para o monte e a vista vai ficando cada minuto mais bonita. Nós fomos de teleférico e voltamos andando por uma trilha. A trilha é ok, mas não indicaria fazer com crianças pequenas ou se você não for fã de caminhadas. Reserve algumas horas para explorar o lugar, é bem grandinho.
  • Queen Victoria Museum and Art Gallery
  • Queen Victoria Museum at Inveresk, os nomes são parecidos, mas esse aqui é um museu e o primeiro é uma galeria de artes, ambos são muito legais.
  • Saint John Craft Beer, um bar com vários tipos de cerveja artesanais, ambiente bem pub australiano, mas pequeno. Gostamos bastante!

Passamos a noite em um hostel de cápsulas, foi barato e uma experiência diferente. Achei ok para passar uma noite e também porque passamos o dia todo fora e fomos para o hostel apenas para dormir. No entanto, acho que seria inviável esse estilo de acomodação para passar várias noites, o espaço é bem limitado. O nome do hostel é Pod Inn.

Launceston pontos turísticos

Dia 5 – Cradle Mountain

Acordamos cedinho e dirigimos 1 hora e 30 minutos até Mole Creek. A princípio, queríamos visitar a caverna, mas não havia mais disponibilidade para a parte da manhã, e na parte da tarde não dava para nós. No entanto, aproveitamos que já estávamos lá e decidimos fazer uma caminhada pela região. O lugar é simplesmente incrível e oferece muitas coisas para explorar além da caverna. Se eu fosse fazer o roteiro novamente, incluiria pelo menos um dia completo lá.

Depois dirigimos mais 1 hora e 30 minutos até Cradle Mountain, um dos pontos turísticos mais famosos da Tasmânia. Lá você tem a opção de fazer várias trilhas, que te levam a vários pontos e paisagens diferentes. A gente escolheu fazer Dove Lake Circuit e Enchanted Walk.

  • Mole Creek caves, como disse acima, não rolou muito pra gente por conta do tempo, mas vale a pena explorar a região.
  • Dove Lake circuit.
  • Enchanted walk.

Passamos a noite em um camping chamado Tullah Lakesite, era apenas um espaço para parar a campervan com banheiros e chuveiros, aqui também tinha que pagar o banho separado com moedinhas.

Cradle mountains Tasmania

DIA 6 – Mount Field National Park

Acordamos cedinho e seguimos mais ou menos 3 horas em direção a Lake St Clair, no meio do caminho paramos em Nelson Falls, uma cachoeira super linda, inclusive, o caminho até chegar nela é tão lindo quanto!

Quando chegamos em Lake St Clair descobrimos que as trilhas eram muito longas, comemos um hambúrguer e seguimos viagem. Nesse momento, nosso tempo já estava ficando um pouco apertado.

  • Nelson Falls, cachoeira lindíssima!
  • Lake St Clair, se você gosta de explorar a natureza, fazer trilhas e admirar paisagens, talvez esse seja um ponto que você deveria passar um tempo.
  • Mount Field National Park, infelizmente como eu disse, a gente já estava com o tempo corrido e não conseguimos visitar o parque, mas ele também é muito famoso e vale a pena reservar um tempo para explorar a área.

Bom, vou explicar aqui por que nossa viagem meio que embananou nesse momento. Inicialmente, tínhamos reservado a campervan apenas por 7 dias dos 10 que estaríamos viajando, porque estava muito caro e pensamos em explorar Hobart de transportes alternativos. No entanto, quando deu quase uma semana de viagem, percebemos que ainda tínhamos muito chão até chegar a Hobart e que desejávamos muito visitar Brunny Island. Por essa razão, tivemos que pular alguns pontos e dirigir por horas seguidas, o que tornou a viagem um pouco cansativa.

Dormimos em um camping em Kettering, próximo de onde pega o ferry para Brunny Island para chegar lá bem cedinho.

Parte do meu roteiro para Tasmânia

Dia 7 – Brunny Island

Para ir para Brunny Island pegamos um ferry em Kingston, o ferry sai a cada 20 minutos e nós fomos com a campervan, já que a ilha é bem grande e seria impossível ir sem um veículo.

  • The neck lookout, um mirante que tem vista para duas praias separadas por um caminho de areia, bem lindo lá de cima.
  • Cape Brunny lighthouse, além do farol super charmoso, lá de cima você tem uma visão única da baía.
  • Cape Queen Elizabeth, é uma caminhada de uns 45 minutos até uma pedra bem famosa.

Além disso, a ilha é repleta de restaurantes e lojinhas. Experimentamos queijos, doces, cervejas artesanais e compramos um pão na beira da estrada, onde você deixa o dinheiro e retira seu pão, não fica ninguém lá cuidado, coisas da Austrália. Finalmente, voltamos para Hobart no fim do dia para entregar a campervan.

Bruny island

DIA 8, 9, 10 – Hobart

Bom, aqui foi onde cometemos mais um erro no planejamento do nosso roteiro, ficar em Hobart sem transporte limitou bastante a gente. Por outro lado, estávamos cansados e precisando de férias das nossas férias hahaha aproveitamos para descansar e fazer passeios relativamente perto do hotel.

Hoje se eu fosse refazer o meu roteiro para a Tasmânia, com apenas 10 dias, eu não passaria tantos dias em Hobart, um dia completo acredito ser suficiente para visitar os principais pontos.

  • Salamanca Market, um mercado ao ar livre super queridinho, acontece só de sábado. Adivinha, não estávamos lá no sábado!
  • MONA, um museu que precisa comprar os ingressos com antecedência, pois é muito comum esgotar. Nós não fomos porque estava muito longe do hotel.
  • Franklin Wharf, um cais cheio de barquinhos e arquitetura charmosa, vimos pinguins lá. E também comemos em um restaurante bem gostoso chamado Mures Hobart.
  • Port Arthur, não é exatamente em Hobart mas muita gente aproveita para explorar o lugar saindo daqui. É a prisão mais antiga da Austrália e tem bastante importância histórica. A gente não curte muito esse tipo de rolê, então optamos por não ir.

Nós ficamos hospedados no hotel Wrest Point, com vista bem lindona e cama confortável.

Lugares do meu roteiro para visitar em hobart

Se você tiver alguma dúvida sobre o meu roteiro para a Tasmânia, me escreve!

Deixe um comentário